Reabertura do Museu da Língua Portuguesa
July 30, 2021

Língua – a melhor herança que podemos deixar a nossos filhos

Cristina Amorim – Professora do IBRACO

“Santo de casa não faz milagre”

“Uma andorinha só não faz verão”

Quem já escutou essas expressões?

Sou professora de português no IBRACO há mais de 9 anos e, com certeza, as perguntas curiosas que mais escuto dos estudantes são “Por que você está na Colômbia?” e “Que idioma você e sua família falam em casa?” Todos sempre se surpreendem quando respondo que amo o clima de Bogotá, pois detesto calor, falamos apenas português, meu esposo é colombiano e meu filho é uma criança de apenas 7 anos.

Inclusive eu mesma sempre observo, admirada, crianças pequenas falando todos os pronomes oblíquos possíveis em perfeito espanhol e tento entender o motivo pelo qual estudei este idioma por quase dois anos e saí do curso achando que jamais falaria com tamanha naturalidade.

Como mãe e professora sei a importância do nosso idioma na América do Sul e no mundo, uma língua apaixonante e cheia de saudades, claro que por isso com certeza nada me torna mais produtiva do que ouvir minhas músicas preferidas num bom português.

Mas o fato de eu ser professora não garante que o meu filho vá falar bem nosso idioma, isso depende de uma série de fatores e estou muito feliz em começar a entender melhor todos eles, graças a estar estudando, aqui, no IBRACO, um “Diplomado” capacitação em PLE (Português como Língua Estrangeira). Graças a isso, estou aprendendo o papel da comunidade brasileira, da sua excelente professora de PLH, e da minha família. Esta parte, confesso que é liderada pela emoção.

Sempre achamos fofo ver crianças pequenas falando vários idiomas, pensamos em como gostaríamos de aprender como aprendem elas, mas nunca é tarde para realizar sonhos.

Daqui até o final do meu curso sei que vou aprender muito e com certeza terei muita história para contar, mas por enquanto a certeza é que nada me faz mais feliz do que poder falar da minha cultura para vocês aqui no IBRACO. Eu sinto que estou no Brasil, todos os dias.